Bem vindo ao relato do início da Internet em Portugal

A Internet

Para uma breve ideia sobre a história da Internet no mundo e dos seus pioneiros, a página The Internet Hall of Fame é o local próprio para se começar. Nesse site é possível consultar uma breve história da Internet feita por alguns dos seus arquitectos iniciais. A instituição que melhor representa o conjunto da Internet e que tem muita informação sobre o seu início, desenvolvimento e futuro é a ISOC - Internet Society. A Internet Society tem um Portuguese Chapter.

Como tudo começou


Portugal ligou-se à Internet no Outono de 1991 como resultado do projecto "Serviço IP da RCCN", conduzido pela FCCN, então designada Fundação para o Desenvolvimento dos Meios Nacionais de Cálculo Científico. Este projecto teve origem na proposta formulada por um grupo de investigadores designado "Forum-IP" a qual foi acarinhada e enquadrado pelo Conselho Executivo da FCCN, então constituído por Heitor Pina (IST/UTL), Carlos Morais (LNEC) e Vasco Freitas (Universidade do Minho), este último o membro da Comissão Executiva da FCCN directamente responsável pelo projecto.

O grupo de trabalho que executou o projecto no terreno foi coordenado por José Legatheaux Martins (Universidade de Lisboa) e era constituído por: Alexandre Santos (Universidade do Minho), António Inês Silva (LNEC), Edmundo Monteiro (Universidade de Coimbra), Fernando Boavida (Universidade de Coimbra), Fernando Cozinheiro (Universidade de Aveiro), Henrique João Domingos (Universidade de Lisboa), Joaquim Macedo (Universidade do Minho), Jorge Frazão (Universidade de Lisboa), João Neves (INESC Porto), Pedro Veiga (IST e INESC Lisboa), Rogério Reis (Universidade do Porto), Salvador Pinto Abreu (Universidade Nova de Lisboa).

Na seção do site Nascimento encontra-se o relatório técnico da FCCN, da autoria de José Legatheaux Martins, que relata o desenrolar, as opções tomadas e os resultados do projecto "Serviço IP da RCCN". Na mesma secção encontra-se também o mapa da Internet portuguesa em Dezembro de 1991.


O projecto foi apoiado internacionalmente pela EUnet, a rede que na altura ligava diversos países da Europa ao backbone da NSF (National Science Foundation), a Internet propriamente dita. A EUnet tinha sido fundada e era gerida pelos grupos europeus de utilizadores de Sistemas UNIX, associações sem fins lucrativos que divulgavam o sistema UNIX, único sistema aberto da altura e percursor do Linux. A associação nacional de utilizadores de sistemas UNIX chamava-se PUUG - Portuguese Unix Users Group e foi fundada em 1989 por várias pessoas entre as quais José Legatheaux Martins e Pedro Veiga.


Uma vez a ligação inicial estabilizada, o projeto desenvolveu-se em duas avenidas paralelas. Na parte académica, nos anos seguintes as ilhas de Internet académica portuguesa e europeias começaram a desenvolver-se e a interligar-se cada vez mais, como seria natural. A outra avenida de desenvolvimento foi a Internet para os não académicos, a seguir também descrita.

Inicialmente, sob a direcção de José Legatheaux Martins, o PUUG assegurou a ligação entre o projecto "Serviço IP da RCCN" e a EUnet em Amsterdão pois o PUUG era o representante nacional da EUnet. Nessa altura o PUUG já disponibilizava aos seus sócios, em parceria com o INESC, acesso ao correio electrónico da Internet via o protocolo UUCP e, na sequência do projecto, alargou a sua actividade de divulgação do acesso à Internet aos seus sócios.

Inicialmente essa actividade estava muito dependente do apoio e colaboração do INESC e da FCCN, mas a partir de certa altura o PUUG montou a sua infra-estrutura própria. Esta actividade de divulgação durou grosso modo até ao final do ano de 1995, ano em que o acesso público comercial se vulgarizou em Portugal. De 1991 a 1995 a Comissão Executiva do PUUG foi constituída por José Legatheaux Martins, Nuno Manuel Guimarães e Rui Bana e Costa. O primeiro servidor do PUUG (dec4pt) foi montado por Salvador Pinto Abreu. Henrique João Domingos da Faculdade de Ciências de Lisboa também apoiou tecnicamente o PUUG durante esta fase inicial. Os primeiros técnicos operacionais permanentes do PUUG na gestão da rede eram alunos da FCUL. No início Jorge Frazão e mais tarde juntaram-se Artur Romão e Carlos Canau.

No dia 29 de Março de 1994 teve lugar no LNEC, o seminário "Portugal na Internet", organizado pela FCCN, o PUUG e o deputado José Magalhães, com apoio da ISOC (Internet Society) e a FLAD que pagou a deslocação do membro da ISOC. Foi a primeira vez que o público em geral e a imprensa generalista portuguesa tiveram contacto directo com a Internet em Portugal. Nos meses seguintes houve um surto de artigos na imprensa generalista e especializada sobre a Internet.

No essencial, entre 1991 e meio de 1995, para além das universidades e institutos de investigação portugueses apoiados pela FCCN e por esta ligados à Internet, as instituições e pessoas individuais que tiveram acesso a serviços da Internet fizeram-no via o PUUG, na sua qualidade de sócios daquela associação sem fins lucrativos. Este artigo do Jornal Público relata esta fase inicial da Internet portuguesa.

Não é por acaso que o projecto de ligação de Portugal à Internet ("Serviço IP da RCCN") e o grupo de trabalho que o executou ("Forum-IP") tinham na sua designação a abreviatura IP (IP = Internet Protocol). Com efeito, a Internet é uma rede de redes que comunicam através do protocolo IP. Essa rede não deve ser confundida com as aplicações que suporta.

Secções do site

O projeto vertente IP da RCCN

A ligação de Portugal à Internet e a montagem do .PT foram resultados do projeto vertente IP da RCCN da FCCN.

A rede EUnet

A rede europeia EUnet , European Unix Network, foi fundamental pois permitiu a ligação ao NSFnet backbone.

A associação PUUG

A associação PUUG era o a representante em Portugal da EUnet e teve um papel fundamental no projeto e na divulgação da Internet fora da academia até 1995.

A Internet na imprensa portuguesa

Até 1994 as referências à Internet na imprensa portuguesa eram relativamente escassas, mas em 1994 tudo mudou.

O domínio .PT

Durante esse período, o domínio Internet ".PT" era da responsabilidade da FCCN mas foi gerido pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e depois pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, por contrato com a FCCN, entre 1991 e 1994. O responsável pela gestão era José Legatheaux Martins e o responsável operacional era Artur Romão.

O site

Este site foi por mim desenvolvido com o objectivo de facultar o acesso público a diversa informação e documentação sobre o desenvolvimento inicial da Internet em Portugal, em particular desde o seu aparecimento real, até ao início de 1995, ano a partir do qual a Internet portuguesa, tal como a Internet em geral, deixou de ser uma curiosidade e um serviço essencialmente acessível à comunidade académica e à comunidade empresarial que com ela colaborava, para se tornar uma realidade acessível ao grande público e conduzida numa lógica comercial normal.

O site compreende documentação sobre o projecto inicial de ligação das universidades à Internet e o estabelecimento do primeiro backbone IP ligado à Internet em Portugal, dados sobre o domínio DNS português de 1991 a 1994 e dados sobre a actividade do PUUG / EUnet Portugal entre 1990 e 1995 na divulgação do acesso à Internet em Portugal nesse período.

O site não tem dados sobre algumas experiências de acesso a correio electrónico com ligação ao correio electrónico da Internet que tiveram lugar em Portugal antes de 1991 (ligação à rede Bitnet - subsidiada pela IBM - da Faculdade de Ciências de Lisboa e ligação à rede UUCP em Amsterdão do INESC Lisboa montada por Pedro Veiga). Com efeito, só depois da ligação à Internet via a FCCN em 1991, essas instituições também passaram a ter acesso ao correio electrónico Internet suportado no DNS e no protocolo SMTP, os sistemas e protocolos que ainda hoje asseguram o funcionamento do correio electrónico na Internet.

O site também não tem dados significativos sobre a evolução da rede da FCCN (RCCN) no período que cobre.

Procurei referir os nomes de todos os participantes significativos nas várias vertentes sobre o nascimento da Internet em Portugal aqui relatadas:

A todos os que participaram nestas vertentes e que não são referidos, as minhas desculpas.

Pelo meu envolvimento nos primeiros passos da Internet em Portugal fui convidado pela Revista Exame a publicar um ensaio passados 20 anos sobre esses tempos. O ensaio encontra-se também em anexo e foi publicado em Agosto de 2012.

José Legatheaux Martins
Departamento de Informática da FCT/UNL
Setembro de 2012

Esclarecimento

Não é por acaso que o projecto de ligação de Portugal à Internet ("Serviço IP da RCCN") e o grupo de trabalho que o executou ("Forum-IP") tinham na sua designação a abreviatura IP (IP = Internet Protocol). Com efeito, a Internet é uma rede de redes que comunicam através do protocolo IP. Essa rede não deve ser confundida com as aplicações que suporta.

Na época da ligação a WWW ainda estava numa fase embrionária e era desconhecida do grande público. As aplicações dominantes eram o Correio Electrónico (protocolo SMTP), a transferência de ficheiros através do protocolo FTP e o acesso a sistemas remotos através de Telnet. A principal aplicação de partilha de informação eram as NEWS (hoje quase desaparecida).

Actualmente as aplicações e sistemas mais utilizados na Internet são completamente diferentes. Com efeito, a grande maioria do tráfego Internet está relacionado com a WWW, as redes sociais, suportadas no mesmo protocolo que a WWW, o correio electrónico ainda suportado no protocolo SMTP, a partilha de ficheiros com base em protocolos e sistemas P2P e a difusão de vídeo.

É uma Internet completamente diferente daquela a que Portugal se ligou em 1991, mas o protocolo que suporta a interligação de todas a redes que formam a Internet continua a ser o protocolo IP. É por isso que estar ligado à Internet é sinónimo de poder executar o protocolo IP e trocar pacotes IP com todos os outros sistemas ligados à mesma rede. Até ao Outono de 1991 nenhum computador em Portugal era capaz de comunicar de forma permanente com os computadores ligados à Internet usando o protocolo IP.

É por esta razão que não se deve confundir o acesso esporádico a computadores remotos com acesso a serviços da Internet, ou a troca de mensagens de correio electrónico com sistemas ligados à Internet, com uma ligação real de rede portuguesa à Internet. Assim, independentemente do que alguns pensam, mas erradamente, o ano zero da Internet portuguesa é o ano de 1991 e as pessoas que foram responsáveis pelo estabelecimento da primeira rede IP portuguesa com endereços IP legais e válidos na Internet são aquelas que estão listadas na introdução deste site.